IPO do Porto lidera gastos hospitalares em medicamentos

Dados do Ministério da Saúde

19 dezembro 2006
  |  Partilhar:

 

O Instituto Português de Oncologia do Porto foi a unidade onde os gastos em medicamentos mais cresceram até Agosto deste ano, comparativamente a 2005, tendo subido 22,7%, indica um estudo do Ministério da Saúde.
 

 

O trabalho que analisa o consumo de medicamentos em meio hospitalar, entre Janeiro e Agosto deste ano, actualiza dados divulgados em Setembro, tendo a nova informação sido revista e validada pelo Instituto de Gestão Informática e Financeira da Saúde, em conjunto com as unidades envolvidas.
 

 

A amostra de 26 hospitais seleccionada pelo Ministério da Saúde (MS) - que representam mais de 80% dos gastos em medicamentos no sector -, indica que os custos com o consumo de medicamentos nos hospitais cresceram 4,7% comparativamente ao ano passado, embora em seis hospitais este aumento seja superior a 10%.
 

 

De acordo com os dados divulgados em Setembro pelo MS, a despesa em medicamentos estava a crescer a dois dígitos em quatro unidades: Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa (15%), IPO do Porto (13%), Hospital Joaquim Urbano, no Porto (10,4%) e Hospital São Teotónio, em Viseu (10%).
 

 

Após a revisão dos dados, é o IPO do Porto a unidade que regista a variação mensal mais elevada entre os custos de 2005 e deste ano, apresentado actualmente uma média de gasto mensal em medicamentos de 2,4 milhões de euros, contra 1,9 milhões de euros no ano passado.
 

 

Fontes: Lusa e Público
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.