Iodo vai ser recomendado a grávidas

Orientações da Direcção-Geral da Saúde

27 agosto 2013
  |  Partilhar:

As mulheres que planeiam engravidar, grávidas e mulheres que se encontram no período de amamentação que revelam carência serão aconselhadas a tomar suplementos de iodo, refere uma nova orientação da Direção-Geral da Saúde (DGS).

 

Segundo a DGS, "as mulheres em preconceção, grávidas ou a amamentar devem receber um suplemento diário de iodo sob a forma de iodeto de potássio (150 a 200 microgramas), desde o período pré-concecional, durante toda a gravidez e enquanto durar o aleitamento materno exclusivo, pelo que deverá ser prescrito o medicamento com a substância ativa de iodeto de potássio na dose devidamente ajustada".

 

O iodo é obtido através da alimentação, encontrando-se nomeadamente no peixe e nos produtos lácteos. Vários estudos conduzidos em grávidas em Portugal revelaram carências sérias de iodo por parte das mulheres participantes, com largas percentagens a apresentarem valores inferiores aos recomendados pela Organização Mundial de Saúde.

 

Segundo a DGS, a carência deste elemento representa riscos para o feto em termos cognitivos: "envolve maior risco, pois, como tem sido demonstrado, pode levar a alterações cognitivas nas crianças com diminuição do seu quociente de inteligência". Almerinda Pereira, presidente da Secção de Neonatologia da Sociedade Portuguesa de Pediatria, e que participou no grupo de trabalho que elaborou a nova orientação da DGS, defende que "o iodo é muito importante no desenvolvimento do cérebro e maturação do feto, principalmente até às 20 semanas de gestação".

 

O iodeto de potássio poderá ser comparticipado e estará disponível nas farmácias, com um custo de cerca de quatro euros por embalagem que dará para cerca de dois meses. Posteriormente este elemento deverá comercializado sob forma de aditivo ao sal da cozinha normal, ou seja, sal iodado, como é já prática em muitos países. Esta solução eliminará a necessidade de se recorrer a suplementos. Finalmente, a presença e níveis de iodo em alimentos em Portugal serão analisados, algo que difere de país para país.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.