Investigadores portugueses estudam terapêutica inovadora para o cancro oral

Estudo da faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra

30 março 2009
  |  Partilhar:

Investigadoras do Centro de Investigação em Meio Ambiente, Genética e Oncologia (CIMAGO) da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra estão a estudar uma terapêutica inovadora para o cancro oral, a partir da combinação de dois fármacos já usados no tratamento de outros tipos de cancro.

 

A investigação levada a cabo por Marília Dourado e Ana Bela Ribeiro, que dura há já dois anos, envolveu até agora experiências “in vitro” mas vai avançar este ano para estudos em ratinhos, de forma a testar a eficácia da nova terapêutica.

 

De acordo com declarações à agência Lusa, Marília Dourado explicou que o cancro oral ocupa o nono lugar entre as doenças oncológicas, com cerca de mil novos casos por ano. Este é o cancro que mais poderá afectar a imagem das pessoas, por se desenvolver em qualquer parte da boca, língua, lábios, glândulas salivares ou garganta, esclareceu ainda.

 

“Este projecto não tem como fundamento descobrir novas moléculas, nem colocar um novo medicamento no mercado. O objectivo principal é uma nova abordagem terapêutica utilizando moléculas que são utilizadas noutras patologias”, explicou a investigadora, sublinhando que, para que esta abordagem terapêutica possa ser aplicada em doentes, há ainda “um longo caminho a percorrer”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.