Investigadores lançam alerta a pessoas magras sedentárias

Trabalho do Imperial College em Londres

01 agosto 2007
  |  Partilhar:

 

Um grupo de investigadores lançou um alerta a pessoas magras, com um peso dentro dos parâmetros normais, que podem armazenar gordura em redor dos órgãos vitais.
 

 

Há mais de 10 anos que a equipa liderada por Jimmy Bell, professor de imagiologia molecular no Imperial College em Londres, examinou perto de 800 pessoas através de ressonâncias magnéticas de forma a descobrir onde armazenam a sua gordura.
 

 

De acordo com os dados recolhidos, as pessoas que mantêm o seu peso através de dieta, em vez de exercício, parecem ter maiores depósitos de gordura interna, mesmo que outrora tenham sido magros. "Todo o conceito de ser magro necessita de ser redefinido", disse Bell que considerou que, sem um claro sinal de alarme, as pessoas estão falsamente sossegadas ao pensarem que por não terem excesso de peso são saudáveis.
 

 

Mesmo pessoas com indicadores normais de massa corporal - a medida padrão divide o peso pela altura ao quadrado -podem ter surpreendentes níveis de gordura armazenados internamente.
 

 

Segundo a equipa de Bell, 45% das mulheres examinadas que tinham indicadores normais de massa corporal têm na realidade níveis excessivos de gordura interna. Em relação aos homens, a percentagem de homens com excesso de gordura num corpo com indicadores normais ronda os 60%.
 

 

De acordo com o investigador, pessoas que têm gordura armazenada internamente estão no limiar de serem obesas: São pessoas que comem alimentos muito gordurosos e açucarados e fazem pouco exercício, mas que não comem o suficiente para serem obesas.
 

 

Cientistas acreditam que acumulamos naturalmente gordura à volta da barriga, mas, até certo ponto, o corpo pode começar a armazená-la em qualquer parte. Os médicos teorizam também que a gordura interna desfaz os sistemas de comunicação corporais pois, ao alojar-se ao redor dos órgãos internos, pode enviar ao corpo errados sinais químicos para armazenar a gordura em órgãos como o pâncreas ou o fígado. Em última análise, isto pode conduzir à resistência à insulina, Diabetes ou Doenças Cardíacas.
 

A boa notícia é que a gordura interna pode ser facilmente queimada através de exercício, em conjunto com uma dieta equilibrada.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.