Investigadores do ISPUP integram projeto MOMI

Estudo visa a redução da mortalidade materna e infantil em África

21 agosto 2013
  |  Partilhar:

Um grupo de investigadores do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) integra um projeto internacional que tem como objetivo contribuir para a redução da mortalidade materna e infantil em África.

 

Intitulado MOMI (Missed Opportunities in Maternal and Infant Health), o projeto pretende reduzir as taxas de mortalidade materna e infantil em África através da melhoria da prestação de cuidados de saúde no período pós-parto.

 

Segundo o ISPUP, o MOMI é “baseado na hipótese de que há várias oportunidades perdidas no que concerne aos cuidados de saúde prestados na altura do parto e do pós-parto. Estas oportunidades perdidas verificam-se em situações facilmente preveníveis e que de outra forma são geralmente causadoras de mortes, tais como hemorragias ou infeções (no caso das mães) ou em complicações surgidas de partos prematuros”.

 

Os investigadores propõem uma série de intervenções para colmatar as “oportunidades perdidas” mencionadas, que estão centradas no período pós-parto, no caso das mães e no primeiro ano de vida no caso dos bebés. A intervenção decorre em quatro regiões de Moçambique, Quénia, Malawi e Burquina Faso.

 

A agência Lusa apurou que este projeto internacional acaba de terminar a fase de análise e diagnóstico e encontra-se presentemente a entrar na fase de implementação no terreno, contando com a participação do ISPUP através da presença de dois investigadores.

 

“Uma das particularidades do projeto MOMI é, justamente, a metodologia das intervenções. Fortemente baseadas na investigação científica e no diagnóstico realizado, estas intervenções, em contraste com outros projetos, não estarão exclusivamente a cargo dos investigadores e profissionais de saúde estrangeiros mas serão entregues aos serviços de saúde locais”, destaca o Instituto de Saúde Pública. Para além deste instituo, o projeto conta ainda com dois parceiros europeus e cinco parceiros africanos.

 

Segundo dados de 2011 fornecidos pelo INE, estima-se que em Portugal sucedam 5.2 óbitos de mães por cada 100 mil partos. Nos quatro países africanos de intervenção deste projeto dados recentes apontam para que este número varie entre os 294 e os 675 óbitos (no Quénia e Malawi, respetivamente) por cada 100 mil partos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.