Investigadores conseguiram evitar a metastização do cancro da mama

Perspectivas para um melhor tratamento deste tipo de cancro

07 março 2001
  |  Partilhar:

Investigadores da Universidade de Dusseldorf (Alemanha) em associação com cientistas de Essen (Alemanha), da Califórnia (EUA) e do México descobriram como é que as células cancerígenas da mama se ligam a outros órgãos e aí se desenvolvem, dando origem a metástases muitas vezes fatais.
 

 

O objectivo deste grupo de investigadores era apurar a razão porque este tumor metastiza principalmente para os gânglios linfáticos, medula óssea, pulmão e muito raramente para outros órgãos. Muitas pacientes morrem devido a estas metástases e não do tumor da mama propriamente dito.
 

 

Desde há muito tempo, investigadores em todo o mundo atribuem esta preferência para a metastização de determinados tumores a proteínas presentes na superfície celular. A um determinado factor expresso na célula cancerígena corresponde um receptor especifico (mecanismo tipo chave-fechadura) em tecidos normais pré-determinados que o tenham na sua membrana celular, onde as células malignas se ligam, multiplicam e aí formam uma metástase.
 

 

Este grupo de cientistas, através de um estudo minucioso de várias proteínas de superfície, descobriu que o factor expresso pelas células tumorais, denominado por “CXL12” encontra o seu receptor nos tecidos que apresentem o receptor, conhecido pelas iniciais “CXCR4”. Experiências em animais com anti-corpos anti-CXCR4 (que bloqueiam esse receptor) demonstraram que foi possível evitar a metastização do carcinoma da mama.
 

 

Fonte: Net Doktor
 

 

Adaptado por:
 

David Ferreira
 

MNI - Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.