Investigadora portuguesa desenvolve novo agente anti-cancerígeno

Estudo liderado por investigadora da Universidade de Coimbra

27 março 2009
  |  Partilhar:

Um estudo internacional, liderado por Maria Paula Marques, da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra (FCTUC), desenvolveu um novo agente anti-cancerígeno que revelou resultados promissores ao nível das propriedades terapêuticas no combate ao cancro.

 

O estudo liderado pela investigadora da FCTUC, e financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), tem aconselhamento médico do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra e conta com a participação de especialistas de institutos e universidades de Espanha, Reino Unido e Estados Unidos da América.

 

O estudo envolveu a preparação de dez compostos de diferentes derivados da cisplatina, um composto que esta na base de muitas das drogas anti-cancerígenas em uso clínico desde os anos 70 até agora, que foram sujeitos a um processo moroso de síntese, caracterização e avaliação da sua actividade biológica.

 

Os compostos sintetizados foram testados em células humanas saudáveis e cancerígenas, tendo-se verificado que o composto desenvolvido à base de paládio, um elemento metálico utilizado em áreas como a medicina dentária e na indústria farmacêutica, petrolífera ou electromecânica, “mostrou ser altamente eficaz ao causar a morte de células doentes, afectando menos células saudáveis”, revelou à agência Lusa a líder da investigação.

 

No âmbito desta investigação, estão já a decorrer experiências no Roswell Park Cancer Institute, nos EUA, para testar a actividade anti-cancerígena do novo composto em animais.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.