Inventar desculpas dá má imagem

Pessoas que não assumem responsabilidades são mal vistas

23 setembro 2003
  |  Partilhar:

As pessoas que estão sempre a querer sacudir a água do seu capote são vistas pelos pares como egoístas, mentirosas e sem carácter. Um estudo feito por psicólogos da Universidade da Flórida revela que, em determinadas circunstâncias, as desculpas arrancam apenas sentimentos desfavoráveis por parte dos outros.
 

 

Colocar a culpa nos outros, dando uma desculpa suspeita ou usar métodos que ignoram completamente a própria fraqueza da pessoa, pode ter um efeito semelhante, segundo o estudo publicado no Journal of Social and Clinical Psychology.
 

 

Pode parecer óbvio que geralmente as pessoas não tenham paciência para as desculpas, mas as escapatórias têm um propósito. A área de pesquisa psicológica frequentemente centra-se no ponto superior da desculpa, de acordo com autores do novo estudo. Desviar a culpa ajuda «a pessoa a diminuir o impacto dos erros», explicou a autora do estudo, Beth A. Pontari.
 

 

Culpar-se a si próprio por todos os erros pode ter um preço elevado e esse é um problema particular entre pessoas com depressão. Inventar desculpas, ou colocar a culpa por factos em outros quando as coisas não dão certas pode evitar que as pessoas se sintam insatisfeitas consigo mesmas. «Não acredito que as desculpas sejam inteiramente más», afirmou Pontari à Reuters.
 

 

A equipa identificou ocasiões quando as desculpas se tornam «problemáticas». O estudo apresentou aos universitários descrições de vários cenários nos quais a personagem principal inventava desculpas para o seu comportamento.
 

 

Os especialistas observaram que em determinadas condições-- como quando a personagem tinha um histórico de desculpas ou quando a resposta era «fiquei preso no engarrafamento»-- os participantes não viam a personagem de maneira simpática.
 

 

De forma semelhante, opiniões negativas foram associadas a desculpas que «perpetuavam uma fraqueza»-- por exemplo, quando um funcionário culpa o computador pelas falhas no trabalho. Ao contrário, os cientistas relataram que «personagens principais saíam-se bem quando equilibravam sua desculpa», ao assumir parte da responsabilidade.
 

 

Segundo Pontari, em vez de simplesmente culpar o trânsito por chegar atrasado a um encontro que custaria à sua empresa um cliente importante, tente lembrar que deveria ter saído mais cedo. «É o acto de equilíbrio que temos de fazer como seres humanos», destacou a psicóloga.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.