Intolerância à glucose na gravidez indicadora de problemas pós-parto

Estudo publicado no “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism”

14 dezembro 2009
  |  Partilhar:

As mulheres grávidas que desenvolvem intolerância gestacional à glucose estão sob maior risco de sofrer de síndrome metabólica três meses após o parto, revela um estudo publicado no “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism”.

 

A síndrome metabólica é uma condição caracterizada por obesidade central, hipertensão e distúrbios no metabolismo da glucose e da insulina, que, em conjunto, aumentam significativamente o risco de diabetes tipo 2 e de doença cardiovascular.

 

Para este estudo, os investigadores da University of Toronto, nos EUA, contaram com a participação de 487 mulheres grávidas, que foram testadas e divididas em três grupos distintos: tolerância normal à glicose; intolerância gestacional à glucose; e diabetes gestacional. Três meses após o parto, as mulheres foram observadas para se determinar a presença de sinais de síndrome metabólica.

 

Os investigadores constataram que a intolerância à glucose gestacional estava associada a um risco aumentado de síndrome metabólica.

 

Em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Ravi Retnakaran, salientou que os resultados da investigação indicam que o rastreio da intolerância à glucose na gestação, tal como é praticado actualmente, pode fornecer dados, até agora ignorados, sobre o perfil de risco cardiovascular pós-parto. Além disso, o rastreio da tolerância à glucose poderá identificar subgrupos de mulheres jovens para as quais a monitorização de risco cardiovascular poderá ser aconselhada.”

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.