Intervenção cirúrgica hepática inovadora no Hospital de Alvor
14 agosto 2002
  |  Partilhar:

A Unidade de Intervenção Cardiológica (UIC) do vai ser palco de uma sofisticada intervenção cirúrgica, que se realiza pela primeira vez no Algarve, destinada a combater hemorragias digestivas numa paciente com obstrução hepática.
 

 

A intervenção vai ser realizada quarta-feira numa cidadã inglesa, Vivianne Jones, 63 anos, por uma equipa clínica chefiada por Manuel Otero, dos Hospitais da Universidade de Coimbra, um dos poucos especialistas qualificados em Portugal para a técnica cirúrgica que vai ser utilizada.
 

 

Segundo o responsável da UIC do Hospital de Alvor, José Baptista, trata-se de uma complicação que surge geralmente como consequência de uma obstrução na veia porta, ao nível do fígado, que sob o efeito de maior pressão (a chamada hipertensão portal), dificulta a circulação sanguínea neste orgão.
 

 

Obstrução da veia porta
 

 

O especialista explicou que esta pressão repercute-se noutras veias do sistema digestivo, as quais, por não estarem preparadas para tal situação, rompem-se e provocam hemorragias digestivas.
 

 

Normalmente, acrescentou, a forma mais duradoura de baixar a pressão no sistema da veia porta é através de uma cirurgia que liga este sistema a uma veia com pressão normal distal ao fígado.
 

 

Contudo, adiantou, este tipo de cirurgia é considerada muito agressiva e arriscada, pelo que nos últimos anos, com o recurso a novas tecnologias de intervenção, surgiu a derivação porto-hepática, realizada através de cateteres que são introduzidos, sob anestesia local, através da veia jugular interna localizada no pescoço.
 

 

TIPS
 

 

O procedimento, denominado "Transjugular Intrahepatic Portosystemic Shunt (TIPS)" consiste na introdução de um tubo de metal (denominado stent), através da veia jugular até ao fígado doente, ligando as veias hepáticas à veia porta para reduzir a pressão dentro do sistema portal.
 

 

A chamada técnica de intervenção radiológica demora cerca de uma hora, praticamente não tem riscos e permite dar alta ao doente em 24 horas, referiu o especialista clínico.
 

 

A cidadã inglesa registou diversos episódios de hemorragias digestivas e foi sujeita a várias intervenções cirúrgicas e transfusões sanguíneas.
 

 

Recentemente foi aconselhada a submeter-se a nova intervenção cirúrgica no Reino Unido, tendo os seus médicos, depois de conhecerem a tecnologia da UIC do Hospital de Alvor, optado pela técnica radiológica de intervenção.
 

 

A UIC do Hospital de Alvor é uma das três unidades de saúde do País equipada para este tipo de intervenção, capaz de responder a problemas clínicos nas áreas da cardiologia de intervenção, cardiologia pediátrica, electrofisiologia e radiologia de intervenção.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.