Internos são assediados por empresas privadas de médicos ainda durante a sua formação

Declarações do presidente do CNMI

16 setembro 2008
  |  Partilhar:

Os médicos começam a ser sondados logo no último ano da sua formação específica (internato) por empresas privadas de médicos que lhes oferecem pagamentos elevados para realizarem horas em hospitais carenciados de clínicos, denunciou o presidente do Conselho Nacional do Médico Interno (CNMI) da Ordem dos Médicos.
 

 

De acordo com Rui Guimarães, os internos de especialidades como anestesiologia, ginecologia/obstetrícia, pediatria e otorrinolaringologia são os que mais frequentemente são convidados para, quando terminarem a sua formação, prestarem esses serviços.
 

 

O pagamento, à hora, que estas empresas oferecem aos médicos, é muito mais elevado do que o que os hospitais públicos pagam, apesar de o serviço ir ser prestado em hospitais do SNS.
 

 

Em declarações à Lusa, Rui Guimarães, refere que este é "um trabalho de mercenário" que nada tem a ver com as ambições de quem estuda e se especializa num hospital público.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.