Internamentos depois de alta hospitalar aumentam

Estudo de consultora vai servir de base à definição de uma rede de cuidados continuados

24 outubro 2005
  |  Partilhar:

 

Entre 2000 e 2003, o número de reinternamentos nos hospitais aumentou 15,7 por cento. Neste último ano, das 76 mil pessoas que tiveram que voltar a ser internadas depois de terem tido alta, quase metade tinha mais de 65 anos, segundo um estudo encomendado pelo Ministério da Saúde a uma consultora.
 

 

Por isso, a consultora propõe que a rede de cuidados continuados se baseie na definição de novas tipologias de serviços, nomeadamente unidades de convalescença e de internamento de média e longa duração nos hospitais, cuidados hospitalares especializados com equipas de gestão e coordenação de altas, cuidados ambulatórios com uma forte componente de reabilitação e promoção da autonomia. Os cuidados domiciliários são apontados como o "grande eixo da mudança" e de apoio aos cuidados continuados.
 

 

Para que o modelo arranque, vão ser primeiro efectuadas experiências-piloto nas cinco regiões de saúde e criada uma verba específica para o financiamento dos cuidados continuados. Foi já constituída uma equipa com elementos do Ministério da Saúde e do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social para este efeito.
 

 

Fonte: Público
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.