Insuficiência cardíaca: identificada proteína chave

Estudo publicado no “Proceedings of the National Academy of Sciences”

12 fevereiro 2016
  |  Partilhar:

Investigadores americanos descobriram o mecanismo molecular que regula a forma como o coração bombeia o sangue, uma descoberta que pode conduzir a novos fármacos para o tratamento da insuficiência cardíaca, revela um estudo publicado no “Proceedings of the National Academy of Sciences”.
 

Um coração saudável regula-se a si próprio, assim, por cada batimento, bombeia tanto sangue quanto recebe. Quando o sangue entra no coração, a parede da câmara que bombeia o sangue expande-se, fazendo com que o músculo cardíaco se contraia e bombeie o sangue. Este mecanismo regulador é conhecido como lei de Frank-Starling.
 

Contudo, nos pacientes com insuficiência cardíaca esta lei é afetada. O músculo cardíaco torna-se demasiado débil para bombear a mesma quantidade de sangue que entra no coração. Para compensar, o coração dilata, desenvolve mais massa muscular e bate mais rápido. Contundo, por vezes, estas medidas não são suficientes. O coração não consegue bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades de sangue e oxigénio do organismo, o que provoca dificuldades em respirar, fraqueza, pernas inchadas, retenção de fluidos e outros sintomas.
 

No estudo, os investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Loyola Chicago, nos EUA, constataram que a proteína titina desempenha um papel importante no mecanismo Frank-Starling e, consequentemente, na quantidade de sangue que o coração é capaz de bombear por cada batimento. A proteína titina é um componente essencial do músculo e é a proteína maior do organismo, pesando 15 vezes mais do que a média.
 

De acordo com o líder do estudo, Pieter de Tombe, a titina afeta a capacidade de o coração contrair e relaxar. Normalmente, quando as pessoas envelhecem, a proteína torna-se mais curta, mas nos pacientes com insuficiência cardíaca a proteína fica mais longa e torna-se menos eficaz.
 

“Os nossos achados fornecem informações sobre as bases moleculares do mecanismo regulador Frank-Starling, podendo conduzir ao desenvolvimento de novos fármacos capazes de tratar mais eficazmente a insuficiência cardíaca”, revelou, em comunicado de imprensa, o investigador.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.