Instrumentos musicais podem albergar diferentes tipos de fungos e bactérias

Estudo publicado na revista “General Dentistry”

04 maio 2011
  |  Partilhar:

Uma equipa da American Academy of General Dentistry (AGD), EUA, assegura que tocar um instrumento musical pode representar um risco para a saúde dos músicos, especialmente se forem crianças, tendo-se comprovado que podem albergar diferentes tipos de fungos e bactérias.

 

De acordo com os resultados de um estudo publicado na revista “General Dentistry”, esta contaminação foi detectada tanto em instrumentos de metal como de madeira, geralmente já usados, e algumas das bactérias detectadas estão relacionadas com doenças infecciosas e alérgicas "muito graves".

 

Como verificou Thomas R. Glass, principal autor do estudo, citado em comunicado de imprensa, "muitas crianças participam em bandas ou tocam na escola e, geralmente, os instrumentos utilizados são emprestados". Assim, acrescenta, "se não forem devidamente e adequadamente limpos, as bactérias e os fungos podem crescer durante semanas ou mesmo meses após a sua última utilização."

 

Especificamente, o estudo analisou 117 partes de 13 diferentes instrumentos de uma banda de escola, incluindo boquilhas, zonas de contacto e câmaras internas. Seis destes instrumentos tinham sido tocados há uma semana atrás, e sete estavam sem uso há mais de um mês.

 

No total, Glass e sua a equipa detectaram um total de 442 bactérias diferentes, muitas da família dos tap, responsáveis por infecções graves. Também encontraram 58 amostras de bolores e 19 de leveduras, que geralmente causam infecções na pele, especialmente à volta da boca e nos lábios. "Os pais não percebem que os instrumentos do seu filho poderão contribuir para o desenvolvimento de asma", explicou o especialista, reconhecendo que tais instrumentos são um "terreno fértil " para as bactérias.

 

Os investigadores também descobriram que muitas destas bactérias podem causar doenças em humanos e são altamente resistentes aos antibióticos mais utilizados, pelo que insistem na necessidade de esterilizar os instrumentos antes do seu uso. "Os instrumentos devem ser limpos após cada utilização para reduzir a presença de microrganismos", explica Cynthia Sherwood, em comunicado de imprensa, acrescentando que "a limpeza não deve ser limitada à boquilha, dado que "as bactérias espalham-se por todo o instrumento."

 

Assim, os especialistas recomendam o uso de panos de limpeza e soluções específicas para os instrumentos, assim como recomendam para que não os partilhem com os demais.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 3
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.