Instituto Abel Salazar avança com Centro de Investigação em Ciência Animal

Novo núcleo de investigação irá funcionar na Maia

27 dezembro 2017
  |  Partilhar:
O Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto (ICBAS) e a Câmara da Maia assinaram recentemente um protocolo sobre a criação do Centro de Investigação em Ciência Animal.
 
Segundo a agência Lusa, a unidade de Ensino Superior custará cerca de 2,5 milhões de euros, deverá estar pronta em cerca de três anos e funcionará no Lugar do Padrão, na freguesia de Moreira da Maia.
 
"O objetivo é combater uma deficiência que existe no nosso país que é a ausência de instalações devidamente apropriadas para fazer experimentação animal com animais de médio e grande porte. Este centro é importante para a nossa atividade, mas também para o país", disse à Lusa o diretor do ICBAS, António Sousa Pereira.
 
Já o presidente da Câmara da Maia, António Silva Tiago, vincou que este concelho "está sempre disponível para acolher e apoiar projetos de vanguarda no domínio da ciência, que acrescentem valor ao território e às pessoas".
 
Os responsáveis não avançam com números quanto a previsão de alunos ou postos de trabalho envolvidos, mas atualmente o ICBAS tem nas suas fileiras 351 na licenciatura em medicina veterinária, de um total de 2.341 alunos, mais de três centenas de investigadores e ainda pessoal não docente.
 
"Será importante na ligação humana - queremos desenvolver a interface com a medicina humana - porque o que acontece atualmente é que quando se quer fazer treino de cirurgia em animais vivos, tem de se ir para Espanha ou para França. Em Portugal são poucos os centros. O ICBAS tem um acreditado pela União Europeia, mas é muito pequeno", descreveu o responsável.
 
A área da medicina ligada à pecuária e o melhoramento animal também são aspetos contemplados na missão do futuro Centro de Investigação em Ciência Animal. "Temos uma emergência de doenças associadas a consumos e à produção pecuária e tudo isso tem de ser muito investigado. Precisamos de ter a certeza de que tudo aquilo que comemos é seguro e sem riscos para a saúde", frisou António Sousa Pereira.
 
"A unidade a construir permitirá a melhoria das condições de investigação, ensino e prestação de serviços na área da ciência animal, bem como o desenvolvimento de novas áreas de experimentação em interface com as ciências médicas", conclui a descrição.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar