Inspecção-Geral de Actividades em Saúde analisa morte de oito utentes por bactéria multirresistente

Hospital de Faro nega relação directa

12 maio 2009
  |  Partilhar:

A Inspecção-Geral de Actividades em Saúde (IGAS) abriu um processo de inquérito para avaliar se as infecções pela bactéria Clostridium difficile (resistente à maioria dos antibióticos) estão relacionadas com a morte de oito pessoas no Hospital de Faro.

 

Em comunicado enviado à imprensa, o Hospital Central de Faro negou que haja uma relação directa entre a morte de oito utentes e a infecção pela bactéria multirresistente que, desde Janeiro, infectou 31 pessoas naquela unidade hospitalar.

 

As pessoas infectadas pela bactéria - que afecta o tracto intestinal e é transmitida através do contacto com a pele - terão todas mais de 60 anos. Contudo, a ministra da Saúde, citada pela agência Lusa, afirmou não haver razão para alarme.

 

Apesar de o hospital de Faro negar haver uma relação directa entre as mortes e a bactéria, segundo o sítio noticioso “Observatório do Algarve”, o hospital emitiu na semana passada uma circular com várias recomendações, entre as quais constam a racionalização do uso de antibióticos, que enfraquecem o sistema imunitário, e o cumprimento de práticas associadas à higiene das mãos e à descontaminação de materiais e superfícies.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.