Insónia custa mais de 63 mil milhões de dólares anuais em perda de produtividade

Estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard

02 setembro 2011
  |  Partilhar:

A insónia afecta 23 por cento dos trabalhadores norte-americanos, mais as mulheres do que os homens, e custa anualmente mais de 63 mil milhões de dólares (44 mil milhões de euros) em perda de produtividade, revela um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard .

 

"O problema está subestimado: as pessoas não faltam dias ao trabalho devido à insónia, mas vão trabalhar fatigadas, o que as torna menos produtivas", sustentou Ronald Kessler, epidemiologista psiquiátrico na Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard e principal autor da investigação que foi publicada na edição de Setembro da revista Sleep.

 

Para o estudo, os investigadores partiram de uma amostra-base de 7.420 trabalhadores, que foram interrogados sobre os seus hábitos de sono e o seu desempenho no trabalho.

 

A falta crónica de sono era mais baixa (14,3 por cento) entre os assalariados com 65 ou mais anos e mais frequente nas mulheres (27,1 por cento) do que nos homens (19,7 por cento).

 

Os especialistas de medicina do sono analisaram posteriormente os dados de um outro inquérito e confirmaram as estimativas anteriores.
  
 

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.