Inibidores do crescimento tumoral estão a ser investigados

Estudo de duas universidades e um instituto politécnico portugueses

31 janeiro 2013
  |  Partilhar:

A inibição do crescimento tumoral e o combate ao desenvolvimento de tumores é o objetivo de um estudo de duas universidades e um instituto politécnico portugueses.
 

A investigação envolve o Centro de Química da Universidade do Minho (UMinho), o Instituto Politécnico de Bragança e a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.
 

De acordo com Maria João Queiroz, da UMinho, a investigação centra-se na inibição de recetores membranares de fatores de crescimento celular, tanto de células tumorais como de células endoteliais. “Ao inibir estes recetores nos dois tipos de células, estamos a evitar que o tumor cresça e vascularize”, explicou a investigadora à agência Lusa.
 

Maria João Queiroz referiu ainda que o tratamento “pode ser dual, tratando o tumor e evitando a metástase”.
A obtenção de novos compostos, completamente caraterizados, visa a entrada nos “exigentes” testes clínicos da indústria farmacêutica.
 

No entanto, Maria João Queiroz assegura que “tudo depende também da toxicidade dos compostos”, sendo que se eles não forem tóxicos “têm uma grande potencialidade” para serem aplicados na terapêutica.
 

“Neste caso, poderão depender apenas dos testes farmacológicos, que determinarão a sua utilização clínica, pois nestas áreas relacionadas com o cancro é de todo o interesse desenvolver novos e eficazes fármacos com baixa toxicidade”.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.