Inibidores da Bomba de Protões relacionado com um aumento do risco de Osteoporose

Estudo publicado na revista “Canadian Medical Association Journal”

01 setembro 2008
  |  Partilhar:

O consumo dos Inibidores da Bomba de Protões (IBP) (fármacos destinados a reduzir a acidez gástrica) a longo prazo aumenta o risco de desenvolver osteoporose, aponta um estudo publicado na revista “Canadian Medical Association Journal”.
 

 

O estudo da Universidade de Manitoba, em Winnipeg, no Canadá, envolveu 63 mil adultos, com mais de 50 anos, no estado canadiano de Manitoba, entre 1996 e 2004; quase 15.300 dos pacientes tinham sofrido uma fractura da anca, da coluna, ou do pulso. Este grupo foi comparado a mais de 47 mil outros voluntários que não apresentavam fracturas. Os dois grupos foram avaliados para o uso de IBP durante o período do estudo.
 

 

Nesta investigação verificou-se que as pessoas com historial de fracturas ósseas apresentavam uma probabilidade duas vezes superior de terem consumido IBP, no mínimo, durante sete anos.
 

 

Em geral, o consumo do fármaco até seis anos não foi relacionado com um maior risco de fractura óssea. Contudo, o estudo sugere que o consumo de IBP em apenas cinco anos está relacionado a um risco 62% maior de sofrer fractura na anca.
 

 

O trabalho não avançou explicações sobre as razões que podem conduzir ao problema, mas os cientistas sugerem que a diminuição do ácido gástrico, provocada pelos IBP, impede a correcta absorção do cálcio e acelera a perda do mineral pelo organismo.
 

 

Na imprensa internacional, muitos especialistas alertam para o facto de, neste caso em particular, os benefícios dos medicamentos se sobreporem aos riscos.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.