Infertilidade masculina aumenta risco de doenças metabólicas

Estudo das universidades de Skåne e de Lund

17 março 2016
  |  Partilhar:
Os homens com problemas de infertilidade apresentam um maior risco de terem doenças metabólicas à medida que envelhecem, dá conta um estudo apresentado na conferência da Associação Europeia de Urologia.
 
Cerca de 15% dos casais têm problemas de infertilidade e cerca de metade dos casos são causados pela infertilidade masculina. Alguns estudos têm sugerido que os homens com espermatozoides de baixa qualidade têm uma menor esperança de vida. 
 
Contudo, ainda não se sabe qual a causa desta associação e não existem marcadores bioquímicos ou estratégias de prevenção desenvolvidas. Neste estudo, os investigadores das universidades de Skåne e de Lund, na Suécia, mediram os níveis das hormonas sexuais e outros parâmetros bioquímicos em homens inférteis. Verificou-se que muitos deles apresentavam um risco de hipogonadismo, ou seja, níveis baixos de hormonas sexuais, bem como sinais de doença metabólica e osteoporose.
 
O estudo incluiu 92 homens com baixas quantidades de espermatozoides e 199 indivíduos que funcionaram como controlo. Foram comparados os níveis de hormonas sexuais entre os dois grupos, assim como marcadores da densidade mineral óssea e um marcador da diabetes, a HbA1c.
 
Os investigadores constaram que um terço dos homens com menos de 50 anos e com problemas de infertilidade apresentavam sinais bioquímicos de baixos níveis de hormonas sexuais. Estes homens, especialmente aqueles com níveis baixos de testosterona, também tinham uma baixa densidade óssea, apresentando assim um maior risco de sofrerem fraturas e osteoporose.
 
Os homens com hipogonadismo também apresentavam níveis elevados de glucose e sinais elevados de uma maior resistência à insulina, que são indicadores de uma tendência para desenvolver diabetes.
 
"Verificámos que uma proporção significativa dos homens inférteis apresentava sinais bioquímicos de hipogonadismo. Isto pode afetar a fertilidade, como também pode funcionar como sinal de alerta precoce para o desenvolvimento de doenças metabólicas na vida adulta, como a osteoporose ou diabetes”, revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Aleksander Giwercman.
 
O investigador recomenda que os níveis das hormonas reprodutivas sejam verificados em todos os homens que procuram aconselhamento para problemas de fertilidade. Aqueles em risco de doença grave devem ser acompanhados após a conclusão do tratamento de fertilidade.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.