Infecciologistas são poucos e serão desviados se houver pandemia

Declarações do presidente da Sociedade Portuguesa de Doenças Infecciosas

18 abril 2006
  |  Partilhar:

 

Em Portugal existem poucos infecciologistas e, em caso de uma pandemia de gripe, alguns terão de ser destacados para combater a doença, referiu o presidente da Sociedade Portuguesa de Doenças Infecciosas (SPDI).
 

 

Durante as 5as Jornadas de Actualização em Doenças Infecciosas, que recentemente se realizaram, Rui Sarmento e Castro revelou que existem cerca de 100 infecciologistas em Portugal e que, no caso de uma pandemia de gripe humana provocada pelo vírus da gripe das aves, alguns profissionais terão de ser desviados das suas actuais funções, nomeadamente de doentes infectados com Sida ou com hepatites.
 

 

Em caso de pandemia de gripe, e "durante dois ou três meses, os infecciologistas terão de ser desviados e concentrarem-se na luta contra o [vírus] H5N1", disse, acrescentando, contudo, que “esse desvio não irá pôr em causa o tratamento de outros doentes com outras patologias”. O presidente da SPDI defendeu ainda que, para colmatar esta carência de infecciologistas, se abram mais vagas na especialidade.
 

 

Fonte:Público
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.