Infarmed pede investigação da PJ na venda de testosterona

Investigação desencadeada por caso mediático

03 setembro 2019
  |  Partilhar:
A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) solicitou a intervenção da Polícia Judiciária (PJ) e de outras entidades para averiguar eventuais situações de desvio de medicamentos com testosterona utilizados no circuito legal para circuitos paralelos.
 
Esta iniciativa divulgada em comunicado pelo Infarmed surge numa altura em que um ator e modelo se encontra em coma induzido no Hospital Garcia de Orta, em Almada, com uma infeção generalizada, alegadamente por se ter injetado com produtos contendo testosterona para melhorar o aspeto físico.
 
Embora sem nunca aludir a este caso concreto, o Infarmed salienta que o medicamento com testosterona, pela sua natureza e finalidade, apenas deverá ser utilizado nas condições em que está aprovado e nas condições estabelecidas na sua autorização.
 
Tais condições - precisa o Infarmed - constam do Resumo das Características do Medicamento destinado aos profissionais de saúde, e no Folheto Informativo, destinado aos cidadãos utilizadores.
 
O Infarmed esclarece igualmente que estão autorizados em Portugal, três medicamentos contendo testosterona, com indicações terapêuticas bem estabelecidas e cuja utilização carece de prescrição para a sua dispensa e sendo a sua administração efetuada por profissionais de saúde.
 
Quanto ao eventual desvio de medicamentos utilizados no circuito legal para circuitos paralelos, o Infarmed desencadeou ações de averiguação dessas situações e solicitou a intervenção da PJ, da Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) e da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) para o efeito.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar