Índice de massa corporal dita tratamento da pressão arterial

Estudo publicado na revista “The Lancet”

10 dezembro 2012
  |  Partilhar:

Os tratamentos utilizados na hipertensão para evitar complicações como enfartes e acidentes vasculares cerebrais, funcionam melhor se for tido em conta o índice de massa corporal (IMC) dos pacientes, sugere um estudo publicado na revista “The Lancet”.
 

Segundo os investigadores da State University of New York's Downstate Medical Center, nos EUA, os pacientes obesos respondem melhor aos medicamentos diuréticos, os quais não devem ser utilizados pelos indivíduos com peso normal e com hipertensão devido ao risco consideravelmente grande de ocorrência de eventos cardiovasculares.
 

Neste estudo, os investigadores liderados por Michael Weber decidiram comparar a utilização de dois fármacos habitualmente utilizados conjuntamente com um inibidor da enzima de conversão da angiotensina (IECA) para o tratamento da hipertensão: um diurético (Benazepril) ou um bloqueador dos canais de cálcio (Amlodipina).
 

Após terem agrupado os 11.482 pacientes de acordo com o seu IMC (normal, excesso de peso ou obeso), os investigadores constataram que os indivíduos com um IMC normal e submetidos ao tratamento com o diurético tinham um risco 68% maior de sofrer eventos cardiovasculares do que os indivíduos com um IMC superior.
 

O estudo também apurou que a utilização do bloqueador dos canais de cálcio foi igualmente eficaz para todas as categorias de IMC consideradas. Adicionalmente foi também constatado que em comparação com a utilização do diurético, a toma do bloqueador dos canais de cálcio produzia cerca de 43 e 24% menos eventos cardíacos nos indivíduos com IMC normal e magro, respetivamente. As duas combinações de tratamentos foram igualmente eficazes entre os indivíduos obesos.
 

Michael Weber acredita que a ocorrência, em ensaios clínicos, de uma taxa elevada de eventos cardiovasculares em indivíduos magros reflete o tipo de tratamento anti-hipertensor utilizado. O investigador acrescenta porém que estes resultados não devem ser generalizados, uma vez que foram apenas baseados num diurético.
 

“Estes achados podem alterar a forma como a hipertensão é tratada e deverão ajudar os médicos a selecionar a combinação de tratamento que melhor se adequa a cada paciente. Estes resultados sugerem também que a hipertensão dos indivíduos obesos e magros é provavelmente mediada por diferentes mecanismos”, conclui o investigador.

 

ALERT Life Sciences Computing S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.