Índice de Apgar: pontuação “normal” pode indicar maior risco de doença e morte

Estudo publicado na revista “BMJ”

10 maio 2019
  |  Partilhar:
Um novo estudo apurou que as pontuações de 7,8 e 9, consideradas como normais no índice de Apgar, estão associadas a maior risco de doença e morte em recém-nascidos.
 
O índice de Apgar é uma forma rápida e simples de avaliar o estado do bebé à nascença. O recém-nascido é avaliado um, cinco e 10 minutos após o nascimento, segundo cinco critérios: cor da pele, frequência cardíaca, respiração, tónus muscular e irritabilidade reflexa.
 
Cada critério recebe uma pontuação de zero a dois, sendo somadas as pontuações obtidas nos cinco critérios, obtendo uma pontuação geral de zero a 10.
 
Para o estudo que foi liderado por Neda Razaz do Instituto Karolinska na Suécia, foram analisados dados de mais de 1,5 milhões de bebés suecos nascidos após gravidezes de termo, entre 1999 e 2016. 
 
A equipa de investigadores comparou pontuações no Índice de Apgar de 7, 8 e 9 aos um, cinco e 10 minutos após o nascimento, com pontuações de 10 aos um, cinco e 10 minutos após o nascimento.
 
Após considerarem vários fatores, os investigadores descobriram que as pontuações de 7 a 9 no Índice de Apgar aos um, cinco e 10 minutos após o nascimento estavam fortemente associadas a um maior risco de infeções, problemas de respiração e lesões cerebrais como resultado da privação de oxigénio, baixos níveis de açúcar no sangue e morte, em comparação com um índice de 10.
 
Como exemplo, a equipa mencionou que uma pontuação de 9 a um minuto de vida, em relação a uma pontuação de 10, estava associada a uma possibilidade 1,5 maior de infeção. Aos cinco e 10 minutos de vida, esta possibilidade aumentava para 2,1 e 3,3 vezes mais, respetivamente.
 
Uma pequena alteração na pontuação de 10 aos cinco minutos de vida, para 9 aos 10 minutos de vida, foi também associada a mais riscos, em comparação com uma pontuação de 10 aos cinco e 10 minutos de vida. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar