Incontinência na gravidez pode continuar após o parto

Estudo publicado no “Obstetrics & Gynecology”

11 abril 2010
  |  Partilhar:

As mulheres que sofrem de incontinência durante a gravidez têm um maior risco de continuar a ter esse problema após o parto, revela um estudo publicado na revista “Obstetrics & Gynecology”.

 

Para este estudo, investigadores da Catalan Agency for Health Technology Assessment and Research, em Barcelona, Espanha, contaram com a participação de mais de 1.100 mulheres, 39% das quais revelaram sofrer de incontinência urinária, ou perda de urina, durante a gravidez. A incontinência anal foi também reportada por cerca de 10% das participantes.

 

O estudo revelou que, sete semanas após o parto, 16% das participantes continuavam a sofrer de incontinência urinária e 7% de incontinência anal. Em comparação com as mulheres que não tinham sofrido de incontinência durante a gravidez, as que reportaram o problema tinham um risco 3 e 6 vezes maior, respectivamente, de o manter após o parto.

 

Por outro lado, os investigadores também constataram que as mulheres que tiveram um parto natural apresentavam um risco 3 vezes maior de ter incontinência urinária e anal após o parto do que as mulheres que foram submetidas a uma cesariana. Das 692 mulheres que tiveram parto natural e responderam a um inquérito sete semanas após o parto, 139 relataram sintomas de incontinência urinária e 57 relataram incontinência anal.

 

Assim, os resultados do estudo confirmaram que o parto natural e a incontinência durante a gravidez são factores de risco para a incontinência pós-parto.

 

Contudo, os investigadores liderados por Maite Solans-Domenech também destacaram formas de reduzir este tipo de risco. Estudos anteriores revelaram que o excesso de peso estava associado a um risco aumentado de sofrer de incontinência durante a gravidez. Assim, o maior controlo de peso durante este período poderá ajudar na prevenção da incontinência urinária após a gravidez.

 

Para além disso, os exercícios que fortalecem os músculos pélvicos, conhecidos como “exercícios de Kegel”, poderão ajudar a prevenir a incontinência durante a gravidez.

 

Caso a incontinência seja persistente, a mulher poderá recorrer a este tipo de exercícios, estabelecer horários para urinar, recorrer a medicação e, nos casos mais graves, ser submetida a uma cirurgia.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.