Incidência da tuberculose baixou para metade em dez anos

Relatório Direcção-geral da Saúde

25 março 2011
  |  Partilhar:

Em apenas uma década, a incidência da tuberculose em Portugal baixou para cerca de metade. Se, em 2001, se registaram 40 novos casos por 100 mil habitantes, em 2010, foram 22, revela um relatório da Direcção-geral da Saúde (DGS), citado pela agência Lusa.

 

Segundo o relatório, foram diagnosticados no ano passado 2.559 casos de tuberculose em Portugal, incluindo casos novos e retratamentos. A incidência dos casos novos foi de 2.372, menos 11% relativamente a 2009, dando "continuidade à evolução para uma diminuição consistente" desde 2002.

 

Apesar dos ganhos alcançados, Portugal ainda não está abaixo da fasquia dos 20 casos por 100 mil habitantes que lhe conferiria a categoria de país com baixa incidência, refere o documento, a que a agência Lusa teve acesso. Dentro do grupo dos distritos com maior incidência, a DGS assinala a “notável tendência decrescente na última década que se verifica em Setúbal, Lisboa e Porto, indiciando a eficácia das medidas de intervenção, apesar de ser onde os principais factores de risco têm maior expressão”.

 

As pessoas mais afectadas são os homens dos 35 aos 44 anos e os imigrantes têm quase 3,5 vezes mais probabilidade de contrair a doença do que os portugueses. A infecção VIH/SIDA, o factor de risco mais importante, tem uma prevalência de 11% entre os casos de tuberculose, o que significa um decréscimo do número de doentes para menos de metade nos últimos 10 anos.

 

A toxicodependência, o alcoolismo, a reclusão e a situação de sem-abrigo são factores importantes de risco para a doença e determinantes para o prognóstico. Contudo, sublinha o relatório, em mais de 65% dos casos não há factores de risco identificados: “Este facto traduz ainda a existência de elevado potencial de transmissão na comunidade”, reforça o documento.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar