Importância de um gene supressor tumoral reforçada

Estudo publicado na revista “Open Biology”

27 setembro 2016
  |  Partilhar:

O TP53 é um dos mais potentes genes do genoma humano na prevenção do cancro sendo como tal designado por gene supressor tumoral. No estudo, recentemente publicado na revista “Open Biology”, uma equipa de investigadores irlandeses apurou que este apresenta uma atividade anticancerígena maior do que a que se acreditava previamente.
 

“A importância de TP53 como um supressor tumoral é bem ilustrada pela sua mutação em pelo menos metade de todos os cancros humanos”, revelou, em comunicado de imprensa, Noel Francis Lowndes, o líder do estudo.  
 

A comunidade científica já tinha conhecimento que o TP53 estava envolvido no processo que impede as células cancerígenas de se multiplicarem no organismo, tanto através do desencadeamento da sua autodestruição como pela prevenção da divisão celular. Conjuntamente, estes processos são reconhecidos como potentes mecanismos anticancerígenos.
 

Neste estudo, os investigadores identificaram um novo papel para acrescentar à lista dos mecanismos anticancerígenos controlados pelo TP53. Os cientistas descobriram que o TP53 regula diretamente a reparação do ADN quebrado. A queba do ADN é o tipo mais perigoso de danos que o ADN pode sofrer, uma vez que pode resultar na morte celular ou perda de informação genética nas células que sobrevivem a este processo.
 

Os cientistas explicam que existem vias bioquímicas principais para a reparação do ADN. Uma simplesmente une as duas pontas do cromossoma afetado. A outra utiliza moléculas de ADN da vizinhança intacto da mesma sequência para funcionar como molde para reparar o cromossoma afetado.
 

O estudo demonstrou que o TP53 influencia diretamente na regulação destas duas vias. Desta forma, a perda do TP53 durante o desenvolvimento do cancro irá direcionar a evolução das células cancerígenas para um tipo de cancro ainda mais agressivo.
 

Os investigadores esperam que esta descoberta tenha impacto no diagnóstico do cancro e melhore as intervenções terapêuticas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar