Impacto do clima em lares de idosos no Alentejo

DGS inicia estudo

15 agosto 2006
  |  Partilhar:

 

A Direcção-Geral da Saúde iniciou um estudo pioneiro em lares no Alentejo sobre o impacto do calor e do frio na saúde de doentes crónicos e nos efeitos da sua medicação.
 

 

O estudo, o primeiro do género feito no país, já está a decorrer e deverá estar concluído dentro de um ano, pormenorizou o subdirector-geral da Saúde, José Robalo. O Alentejo foi a região escolhida para o estudo devido às elevadas temperaturas que regista durante o Verão e ao frio com que é assolado no Inverno.
 

 

De acordo com o responsável da Direcção-Geral da Saúde (DGS), este ano registou-se uma alteração na mortalidade no período de 10 a 24 de Julho, após a onda de calor registada no país entre 6 e 18 do mesmo mês.
 

 

Mas, de acordo com José Robalo, é necessário "mais tempo" para verificar os motivos da mortalidade e quantificá-la, não tendo ainda a DGS esses dados.
 

O subdirector-geral da Saúde realçou a necessidade de serem seguidas as recomendações da DGS sobre as precauções a tomar face ao calor, nomeadamente em relação às pessoas mais sensíveis, como as crianças nos primeiros anos de vida, os idosos, doentes crónicos, acamados e trabalhadores manuais expostos ao calor. Entre estas contam-se o tentar permanecer pelo menos três horas por dia num local fresco, aumentar a ingestão de água e sumos sem açúcar, evitar bebidas alcoólicas e gaseificadas, fazer refeições leves, e evitar a exposição directa ao sol no período de maior calor.
 

 

Fonte: Lusa
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.