Impacto da Doença Inflamatória do Intestino na vida dos pacientes

Todos os anos são registados mais de 100 novos casos em Portugal

19 maio 2014
  |  Partilhar:

No âmbito do Dia Mundial da Doença Inflamatória do Intestino, que se comemora hoje, um estudo europeu divulga o impacto que a doença inflamatória do intestino tem na vida dos doentes.
 

O estudo contou com a participação de 5000 doentes, de mais de 21 países, inclusive Portugal – 160 doentes dos quais 69% eram doentes de Crohn e 29% eram doentes de Colite Ulcerosa.
 

O comunicado, enviado pela Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino, revela que entre os principais resultados do estudo a nível nacional destacam-se os ligados ao absentismo laboral, mas também ao desconforto social e relações pessoais.
 

A frequência da necessidade de ir à casa de banho é também um dos resultados com mais destaque no estudo, por este motivo, esta rotina é considerada um fardo na vida dos doentes. Do total dos 160 doentes portugueses entrevistados, 36% afirma já ter sido alvo de piadas por parte de terceiros relativamente à frequência com que têm necessidade de ir à casa de banho. E quando a pergunta se refere a viagens ou a programas sociais, 53% dos inquiridos preocupa-se com a disponibilidade das casas de banho sempre que vão a algum sítio e 56% considera mesmo este assunto como uma questão fundamental na altura de fazer planos de viagem ou mesmo planos para uma simples saída.
 

Quanto ao absentismo laboral, 59% dos doentes sentem-se stressados e pressionados por ter de faltar ao trabalho por causa da doença, mas 75% indicaram já ter faltado pelo menos um dia durante o ano por causa da doença e 21% já faltaram mais de 25 dias. As principais razões apontadas incluem as consultas médicas, emergências médicas, fadiga e cólicas ou dor abdominal.
 

Relativamente à discriminação e estigma social, 24% dos entrevistados diz ter sido vítima de queixas e comentários injustos ao seu desempenho profissional e 19% revela mesmo já ter sido discriminado no local de trabalho. Em termos de profissionais, 49% dos doentes afirma que as suas perspectivas de futuro foram afetadas negativamente pela doença inflamatória do intestino e 31% dos doentes indica que a doença já fez com que se despedissem ou que fossem despedidos do seu trabalho.
 

A Doença Inflamatória do Intestino engloba duas patologias: a doença de Crohn e colite ulcerosa, que se manifestam frequentemente entre os 15 e 30 anos, mas pode surgir em jovens de qualquer idade. Em cerca de 20% dos casos a doença tem início durante a infância ou adolescência.
 

“As crianças e jovens que sofrem desta doença do foro intestinal têm de lidar com surtos de dor abdominal e diarreia, o que obriga à necessidade de usar, de forma inesperada e frequente, a casa de banho. Na escola e noutros locais sociais, a doença pela sua natureza, desencadeia bastante desconforto físico e emocional, levando ao isolamento e à perda de atividade”, lê-se no comunicado.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.