IMC associado a morte por quase todas as causas

Estudo publicado na revista “The Lancet Diabetes & Endocrinology”

05 novembro 2018
  |  Partilhar:
O índice de massa corporal (IMC) está associado ao risco de morte por todas as causas em geral, com algumas exceções, sugere um estudo.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, Reino Unido, o estudo indicou que o menor risco de morte por cancro e por doenças cardíacas foi observada em indivíduos que apresentavam um IMC entre os 21 e os 25 kg/m2. 
 
Para o estudo, os investigadores contaram com uma base de dados do Reino Unido, conhecida como Clinical Practice Research Datalink, e analisaram informação relativa a 3,6 milhões de pessoas e 367.512 mortes. 
 
A nível global, tanto um IMC reduzido como um IMC elevado foram associados a um maior risco de mortalidade. 
 
A obesidade, considerada com um IMC de 30 ou superior, foi associada a uma perda de 4,2 anos de vida nos homens e de 3,5 anos de vida nas mulheres. 
 
O excesso de peso foi associado a um risco mais elevado de morte por cancro e doenças cardíacas (as duas principais causas de morte), e ainda devido a doenças respiratórias, hepáticas e a diabetes, mas não a morte devido a problemas mentais ou neurológicos.
 
Por outro lado, o baixo peso, ou IMC reduzido, foi também associado a um risco mais elevado de morte por várias causas como doenças cardiovasculares, respiratórias, demência, Alzheimer e suicídio, mas não a morte por cirrose hepática.
 
Os investigadores explicaram que embora o IMC seja reconhecido como sendo um fator de risco de mortalidade em geral, os achados deste estudo poderão ajudar as pessoas a perceberem que o peso insuficiente ou excessivo poderá afetar diretamente diferentes aspetos da saúde ou indicarem a existência de problemas de saúde.
 
Com base nos achados, a equipa considerou o IMC como sendo um indicador chave do estado de saúde e que a manutenção de um índice entre os 21 e 25 será o ideal para minimizar o risco de morte.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar