Idosos hospitalizados beneficiam em manter-se fisicamente mais activos

Estudos publicados nos “Archives of Internal Medicine”

05 janeiro 2011
  |  Partilhar:


Os idosos hospitalizados que permanecem mais tempo de pé e fazem caminhadas curtas pelo hospital tendem a ter alta antes dos outros pacientes da mesma idade, mas mais sedentários, sugere um estudo da University of Texas Medical Branch, EUA, publicado nos “Archives of Internal Medicine”.

 

Neste estudo, liderado por Steve Fisher, foram analisados dados clínicos de 162 doentes, com mais de 65 anos, que estavam hospitalizados. Cada paciente tinha um equipamento semelhante a um podómetro, que contava os passos dados pelo paciente ao longo do dia.

 

"Utilizando esses monitores, pudemos ver uma correlação entre, mesmo quantidades relativamente pequenas de uma maior mobilidade e o menor tempo de internamento no hospital", afirmou, em comunicado de imprensa, o autor do estudo, acrescentando que esse efeito foi verificado mesmo depois de ter sido usado um modelo estatístico para ajustar os diferentes graus de doenças dos pacientes.

 

Há já largo tempo que os médicos reconhecem a importância de os pacientes com problemas ortopédicos ou neurológicos se colocarem de pé o mais depressa possível, mas não existe, até ao momento, um padrão de cuidado para os pacientes idosos internados devido a outras condições. Segundo os autores do estudo, este trabalho pode servir como um primeiro passo na direcção desse objectivo e também poderá abrir caminho a outras práticas destinadas a melhorar o atendimento hospitalar de idosos.

 

Segundo reforçam os cientistas, a mobilidade é uma medida chave na independência e na qualidade de vida dos idosos em geral. Este estudo sugere que este factor também deve ser considerado no contexto hospitalar. "Quando as pessoas idosas são hospitalizadas, cria-se uma situação paradoxal: podem ter um desfecho positivo do problema agudo que os trouxe ao hospital, mas podem sofrer consequências negativas como resultado da imobilidade prolongada."

 

Por tudo isto, os cientistas acreditam que a mobilidade hospitalar medida através de um monitor de actividade pode tornar-se num tipo de sinal vital para os idosos, bem como uma ferramenta que ajuda os investigadores a encontrar o nível mínimo de actividade necessária para proteger os pacientes com mais idade de declínios funcionais a longo prazo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.