Idosos com queixas cognitivas devem ser acompanhados

Estudo publicado no "Journal of Alzheimer’s Disease"

11 janeiro 2010
  |  Partilhar:

Investigadores portugueses demonstraram que as queixas cognitivas de pacientes idosos podem ser o primeiro aviso de doença neurodegenerativa.

 

Assim, as queixas dos pacientes não devem ser desprezadas e devem ser acompanhadas pelos médicos, sendo a ressonância magnética uma forma para detectar problemas, mesmo quando os indivíduos têm resultados normais em testes neuropsicológicos, revela o estudo publicado no "Journal of Alzheimer’s Disease".

 

O estudo, realizado em Portugal, envolveu um trabalho em parceria de várias instituições, tendo concluído que existe uma relação entre as queixas dos pacientes e a diminuição de volume do hipocampo, uma zona do cérebro afectada nas doenças neurodegenerativas.

 

O estudo sugere que estes pacientes sejam acompanhados clinicamente numa fase mais precoce do que a actualmente aconselhada.

 

Um dos autores da investigação, Alexandre de Mendonça, neurologista e investigador do Instituto de Medicina Molecular (IMM), em Lisboa, explicou que "o estudo pode ajudar a definir a decisão clínica nos casos que não correspondem aos padrões típicos das fases precoces de neurodegenerescência".

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.