Identificados genes associados ao processo de envelhecimento

Estudo publicado na revista “Nature Communications”

28 outubro 2015
  |  Partilhar:
Uma equipa internacional de investigadores identificou as alterações moleculares que ocorrem no organismo à medida que envelhecemos, dá conta um estúdio publicado na revista “Nature Communications”.
 
O estudo que inclui investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Exeter, no Reino Unido, avaliou a expressão de genes em amostras de sangue de cerca de 15.000 indivíduos de todo o mundo.
 
Os investigadores identificaram 1450 genes associados ao processo de envelhecimento, tendo também descoberto uma ligação entre estes genes e fatores como a dieta adotada, hábitos a tabágicos e prática de exercício físico.
 
Embora as causas subjacentes ao envelhecimento humano ainda serem pouco conhecidas, o envelhecimento aumenta o risco de cancro, doença cardíaca e acidente vascular cerebral, que são três das principais causas de morte.
 
No estudo os investigadores analisaram especificamente alterações na expressão de genes, um processo no qual a informação presente nos genes é expressa através da leitura das sequências de ADN, criação de ARN e consequentemente das proteínas. Através da análise de amostras sanguíneas os investigadores propuseram-se a encontrar uma forma mais fácil de medir marcadores do envelhecimento humano.
 
Esta técnica permitiu o desenvolvimento de um novo método para prever a idade biológica e demonstrou que os indivíduos com uma idade biológica maior que a atual apresentavam um maior risco de terem pressão arterial elevada e níveis elevados de colesterol.
 
O estudo identificou 1497 genes, dos quais 1450 foram pela primeira vez identificados. Muitos dos genes funcionam conjuntamente, em vias nomeadamente envolvidas no fornecimento de energia das células (função mitocondrial), processos metabólicos, estabilidade e flexibilidade das células.
 
“Este estudo identificou vários genes em que o seu padrão de expressão é alterado com a idade. Estes achados não só fornecem mais informações sobre os mecanismos de envelhecimento, mas estas técnicas podem ser utilizadas na previsão e tratamento de doenças associadas à idade”, conclui, em comunicado de imprensa, um dos investigadores, Luke Pilling.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.