Identificado vírus causador da pneumonia atípica

Investigadores descobrem novo tipo de coronavírus

10 abril 2003
  |  Partilhar:

Dois estudos separados e publicados na quinta-feira na edição on-line do «New England Journal of Medicine», antecipando em um mês a edição escrita por anunciadas razões de saúde pública, identificam o agente causador do Síndroma Respiratório Agudo e Severo (SARS), doença mais conhecida por pneumonia atípica, como sendo um novo tipo de coronavírus.
 

 

Ao submeterem amostras retiradas de pacientes com SARS a despistes consistentes de vírus conhecidos, as duas equipas concluíram em separado que o vírus responsável por esta doença é novo no universo humano. Não só o isolaram como sendo um novo vírus como também o classificaram como sendo um novo tipo de coronavirus, ao qual propõe uma das equipas que seja dado o nome Urbani SARS, em memória de Carlo Urbani, o médico da Organização Mundial da Saúde que morreu com esta doença, no mês passado, depois de ter cuidado de um dos primeiros doentes infectados com este vírus, no Vietname.
 

 

O coronavírus é um vírus de forma circular (em coroa) que tem a particularidade de se multiplicar de forma espaçada. É da espécie IBV, vírus da bronquite infecciosa, ou seja, é um parente dos vírus causadores de constipações vulgares. O isolamento do vírus conseguido pelas equipas de T. G. Ksiazek e C. Drosten vai facilitar o trabalho de laboratório em busca de agentes que o combatam.
 

 

O facto de os efeitos no organismo serem parecidos com os de doenças diferentes, como o sarampo, e de não terem sido detectados anti-corpos específicos complicou o trabalho de identificação. Para o primeiro factor, os cientistas calculam que os efeitos resultam mais de uma sobre-reacção do sistema imunológico da pessoa infectada que do próprio vírus. Para a segunda circunstância a resposta é unanime: este vírus é novo nos humanos e também não é conhecido pela medicina veterinária. Recorde-se que o surgimento de novos vírus é associado pelos ambientalistas à degradação do meio ambiente.
 

 

O surto de SARS parece ter tido início no final do ano passado, na província chinesa de Guangdong, e já matou mais de 110 pessoas e infectou mais de três mil em todo o mundo, com epicentro localizado em Hong Kong, Singapura e, claro, China.
 

 

Veja mais em: Correio da Manhã
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.