Identificado um gene associado ao cancro do pâncreas

Estudo publicado no “Cancer Discovery”

03 janeiro 2012
  |  Partilhar:

Investigadores americanos identificaram um gene, o ATM, que está associado ao maior risco de desenvolvimento do cancro do pâncreas, dá conta um estudo publicado na revista “Cancer Discovery”.

 

O cancro do pâncreas é um dos cancros mais mortais, menos de cinco porcento dos indivíduos diagnosticados com esta doença sobrevivem mais do que cinco anos. Aproximadamente 10% dos pacientes pertencem a famílias com múltiplos casos de cancro do pâncreas.

 

“Existiam razões suficientes para se acreditar que a ocorrência desta doença tinha uma base genética, mas não tínhamos sido capazes, até ao momento, de identificar os genes responsáveis pelo desenvolvimento do cancro do pâncreas na maioria das famílias afetadas”, explica, em comunicado de imprensa, a líder do estudo, Alison Klein.

 

Para este estudo os investigadores da Johns Hopkins University, nos EUA, utilizaram a sequenciação de nova geração, incluindo a análise de todo o genoma e exões, e identificaram mutações no gene ATM em duas famílias que sofriam de cancro do pâncreas.

 

Quando estes resultados iniciais foram analisados em vários pacientes, os investigadores observaram que as mutações no gene ATM estavam presentes em quatro dos 166 pacientes que sofriam de cancro do pâncreas, mas estavam ausentes nos 190 indivíduos que faziam parte do grupo de controlo.

 

Alison Klein revelou que a descoberta do gene ATM pode conduzir a uma melhor deteção do cancro do pâncreas, a quarta causa mais comum da morte associado ao cancro.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.