Identificadas células estaminais capazes de reparar o crânio e ossos faciais

Estudo publicado na revista “Nature Communications”

03 fevereiro 2016
  |  Partilhar:

Investigadores americanos identificaram e isolaram, pela primeira vez, uma população de células estaminais envolvidas na formação do crânio e na reparação dos ossos craniofaciais. O estudo publicado na revista “Nature Communications” é um passo importante para a utilização de células estaminais na reconstrução óssea da face e da cabeça, no futuro.
 

O estudo, levado a cabo pelos investigadores do centro Médico da Universidade de Rochester, nos EUA, teve como objetivo aprofundar o conhecimento e encontrar uma terapia através da utilização de células para uma condição conhecida por craniossinostose, uma deformidade do crânio nas crianças. Esta condição conduz a muitas atrasos no desenvolvimento e pressão elevada no cérebro que pode colocar a vida em risco.
 

Na opinião de um dos autores do estudo, Wei Hsu, estes achados contribuem para um campo emergente que envolve a regeneração dos tecidos através da utilização de células estaminais e outros materiais de forma a desenvolver melhores formas de substituir os ossos craniofaciais danificados nos humanos devido a doenças congénitas, trauma ou cirurgia ao cancro.
 

No estudo, os investigadores liderados por Takamitsu Maruyama, focaram-se na função do gene Axin2 e uma mutação que causa a craniossinostose em ratinhos.
 

Devido ao padrão de expressão único do gene Axin2 no crânio, os investigadores começaram a estudar a atividade das células que expressavam o gene Axin2, bem como o seu papel na formação óssea, reparação e regeneração.
 

O estudo apurou que as células estaminais envolvidas na formação do crânio faziam parte das populações de células que expressavam o gene Axin2, compreendendo cerca de 1%. Os testes laboratoriais utilizados para descobrir as células estaminais esqueléticas podem ser úteis para encontrar doenças ósseas causadas por células estaminais anormais.
 

Os investigadores também confirmaram que esta população de células estaminais é única dos ossos da cabeça, que separa e distingue as células estaminais que são responsáveis pela formação dos ossos das pernas e de outras partes do corpo.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.