Identificada proteína que actua como supressora na Leucemia

Estudo Instituto de Medicina Molecular

02 outubro 2008
  |  Partilhar:

Investigadores do Instituto de Medicina Molecular, da Faculdade de Medicina de Lisboa, identificaram a proteína que actua como supressora na leucemia linfoblástica aguda, avança o jornal “Diário de Notícias”. O estudo será publicado em Novembro na revista “Journal of Clinical Investigation”.
 

 

A proteína em causa, denominada PTEN, fica inactiva devido ao aumento dos níveis de outra proteína, a CK2. Antes deste estudo pensava-se que a inactivação da PTEN ocorria apenas em casos de mutações genéticas da proteína. "O que este trabalho veio provar é que, para além dos genes, há outros factores que devemos ter em conta", referiu ao jornal o líder da investigação e director da Unidade de Biologia do Cancro do IMM, João Taborda Barata.
 

 

De acordo com o investigador, "a maioria dos doentes analisados não apresenta lesões genéticas na PTEN". A mesma publicação explica que, “esta proteína pode estar inactiva por dois motivos: há um aumento dos níveis de outra proteína, a CK2, e um aumento de radicais de oxigénio, ambos presentes em células normais”.
 

 

Em termos práticos, esta descoberta poderá conduzir ao desenvolvimento de inibidores da CK2, "que permitem destruir as células leucémicas sem destruir as normais".
 

 

Alert Life Sciences Computing, SA
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.