Identificada proteína associada à virulência da Doença de Chagas

Portuguesa integra equipa internacional

23 janeiro 2004
  |  Partilhar:

Um grupo de cientistas de vários países - em cooperação com Instituto de Investigação para o Desenvolvimento, em Montpellier, França - identificou a participação de uma proteína específica, a Tc52, na infecção provocada pela doença de Chagas. Depois, a equipa conseguiu manipular em laboratório o parasita responsável pela doença, provocando uma mutação no gene que codifica a tal proteína. O resultado? Os ratinhos infectados com o parasita mutante apresentaram uma infecção mais atenuada. A descoberta poderá ajudar a desenvolver, no futuro, vacinas ou drogas para combater esta doença, que afecta cerca de 18 milhões de pessoas na América Latina e Central. Margarida Borges, uma investigadora portuguesa de 29 anos, participou neste projecto internacional. O trabalho resultou numa tese de doutoramento elaborada em regime de co-tutela com os cientistas Ali Ouaissi e Anabela Cordeiro da Silva e defendida, em Outubro de 2003, no Serviço de Bioquímica da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto e no Instituto de Biologia Molecular e Celular. «Em Portugal não há a doença de Chagas, mas existe a Leishmaniose, cuja abordagem científica é muito semelhante. Agora tenho mais bagagem para compreender determinadas doenças nacionais», explica a jovem cientista. Na equipa, há também investigadores do Brasil e do Equador. Fonte: Público

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.