Idealização suicida aumenta em pessoas fora dos grupos de risco

Desemprego será o principal responsável

27 outubro 2009
  |  Partilhar:

O desemprego, no âmbito da crise internacional, é o principal responsável pelo aumento da idealização suicida fora dos grupos de risco, uma situação que deverá ser temporária.

 

À linha Voz de Apoio, que atende entre cinco a seis chamadas diárias (entre as 21h00 e as 00h00), têm chegado "situações dramáticas de perda de emprego, de perda de capacidade de pagar as despesas que têm", explicou à agência Lusa um dos responsáveis pela linha telefónica, Alexandre Teixeira.

 

Para o especialista, o que no início da crise era apenas uma mera suspeita torna-se hoje numa percepção mais forte dos técnicos, dado que eles têm recebido um maior número de apelos de pessoas da faixa etária dos 30-40 anos, que, à partida, não seriam um grupo considerado de risco. O responsável sugere, contudo, que esta situação seja “temporária e relacionada com as dificuldades financeiras que as pessoas têm tido”.

 

Os últimos números sobre suicídio em Portugal datam de 2007, por isso não há valores que permitam avaliar com exactidão a realidade actual.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.