Hormona da fome pode ajudar a tratar doença arterial periférica

Estudo publicado na revista “Endocrinology”

21 dezembro 2015
  |  Partilhar:
A hormona reguladora do apetite, a grelina, pode ser utilizada para tratar a isquemia crítica do membro, uma forma avançada da doença arterial periférica, sugere um estudo publicado na revista “Endocrinology”.
 
A isquemia crítica do membro é uma obstrução severa do fluxo sanguíneo que necessita de amputações major e em cerca de metade dos casos conduz à morte em cerca de cinco anos. Esta condição é caracterizada por dor em repouso, úlceras incuráveis e gangrena. Os principais fatores de risco da isquemia crítica do membro são a diabetes, obesidade e a idade.
 
Estudos anteriores realizados pelos investigadores da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, conjuntamente com investigadores japoneses, já tinham constatado que a grelina poderia tratar uma doença pulmonar, até à data incurável, conhecida por hipertensão pulmonar, a qual é causada pelo bloqueio progressivo dos vasos sanguíneos.
 
De forma a tentar investigar se a grelina poderia ter um efeito similar na isquemia crítica do membro, a mesma equipa de investigadores utilizou um modelo de ratinhos para esta doença e demonstraram que a administração diária da hormona ao longo de duas semanas aumentava bastante o fluxo sanguíneo nos membros afetados.
 
O estudo apurou que a grelina promovia o crescimento de novos vasos sanguíneos estruturalmente e funcionalmente normais, aumentava a sobrevivência das células e diminuía a fibrose dos tecidos. 
 
Na opinião de um dos autores do estudo, Rajesh Katare, estes resultados são muito animadores, um a vez que não existem fármacos para tratar a isquemia crítica do membro e algumas técnicas são apenas eficazes em metade dos casos. 
 
Os investigadores também analisaram a ação da hormona, ao nível molecular, em tecidos com fornecimento de sangue restrito. Verificou-se que a grelina modelava uma via de sinalização envolvida no crescimento de novos vasos sanguíneos e sobrevivência celular.
 
“Os nossos resultados são uma base para estudos futuros para analisar, a longo prazo, o potencial da grelina e verificar se de facto se pode tornar um tratamento de referência para a isquemia crítica do membro”, conclui, Rajesh Katare.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.