Homens cometem mais suicídio

Estudo publicado na revista “PLOS One”

20 julho 2015
  |  Partilhar:

Um estudo sobre o fenómeno do suicídio por género, em quatro países europeus, incluindo Portugal, conclui que as mulheres tentam mais vezes o suicídio, mas os homens são os que mais concretizam, mesmo quando recorrem a métodos menos letais.
O estudo, que contou com a participação do psiquiatra português Ricardo Gusmão, analisou dados oficiais de serviços de saúde mental de Portugal, Alemanha, Hungria e Irlanda.
 

“Na Europa, os homens têm mais baixas taxas de tentativa de suicídio em comparação com as mulheres e, ao mesmo tempo, maiores taxas nos suicídios consumados, o que indica diferenças de género na letalidade do comportamento suicida”, refere o artigo ao qual a agência Lusa teve acesso.
 

Após terem analisado vários milhares de atos suicidas (tentativas e concretizações) nos quatro países, os investigadores concluíram que estes atos são 3,4 vezes mais letais nos homens do que nas mulheres.
 

Esta diferença de género na letalidade do comportamento suicida é explicada com a escolha de métodos mais mortais por parte dos homens, mas, além disso, as tentativas de suicídio por homens foram classificadas como sendo mais graves, independentemente do método usado, o que sugere ainda diferenças de género na intencionalidade do comportamento suicida.
 

O facto de os homens concretizam mais o suicídio mesmo quando usam os métodos menos letais sugere que poderão ter maior intencionalidade no comportamento.
 

Os homens usam métodos de suicídio considerados mais letais (como enforcamento, atirar-se de estruturas elevadas, atropelamento ou armas de fogo), enquanto as mulheres recorrem muito a intoxicações (por exemplo, através de comprimidos).
 

De acordo com os autores do estudo, as intoxicações são de longe o método a que mais recorrem as mulheres nos comportamentos suicidas: 87,5 % de todos os atos suicidas do sexo feminino são intoxicações, enquanto nos homens esse valor desce para 38,6%.
 

Segundo o estudo, as diferenças de género na letalidade dos atos suicidas foi “bastante consistente nos quatro países europeus analisados” e homens e mulheres não apresentaram diferenças significativas quanto às idades no momento do comportamento suicida.
 

Foram analisados um total de 8.942 atos suicidas, sendo 8.175 tentativas e 767 consumados. Os dados dos quatro países, incluindo Portugal, reportam-se aos anos de 2008 a 2011.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.