Homem do Gelo foi assassinado

Desvendado mistério da morte deste homem com 5.300 anos

26 julho 2001
  |  Partilhar:

Em 1991 foi encontrado nos Alpes, acidentalmente por dois montanhistas alemães, um homem mumificado no gelo, com as roupas e outro equipamento surpreendentemente conservados. Este homem, que viveu na Idade do Bronze há cerca de 5.300 anos atrás, foi chamado de "Homem do Gelo".
 

 

Até agora a forma como este tinha morrido foi largamente especulada: afirmava-se que tinha morrido de uma queda, ou de frio, soterrado na neve, etc.. Agora sabe-se que morreu certamente de uma seta que se alojou no seu corpo e que provocou uma morte lenta e agoniante.
 

 

Isto porque se descobriu a ponta de uma seta feita de sílex (pedra muito usada pelos Homens primitivos para fabricarem os seus instrumentos) com menos de uma polegada de comprimento (2,54 cm) alojada no seu ombro esquerdo.
 

 

Já antes se tinha verificado que existia alguma coisa naquela área mas só agora, recorrendo a uma técnica de raios X que permite obter imagens tridimensionais - tomografia computorizada - se conseguiu identificar o objecto.
 

 

A trajectória da seta no corpo do indivíduo pode ser seguida, começando na pequeníssima ferida no parte esquerda do seu peito. A seta destruiu nervos e vasos sanguíneos vitais, paralisando o braço esquerdo e detruindo a omoplata esquerda. Parou a cerca de três polegadas abaixo do ombro, perto do pulmão esquerdo.
 

 

Havia sinais de hemorragias internas severas o que sugere que terá sido uma morte extremamente dolorosa. O Homem do Gelo terá sobrevivido poucas horas após ter sido atingido. Pelo ângulo de entrada da seta, os investigadores afirmam que ele foi atingido a partir de baixo.
 

 

Os investigadores pensam que ele poderia estar envolvido num combate. De qualquer maneira, os arqueólogos esperam vir a aprender muito mais sobre a história deste indivíduo e do seu papel na sociedade da época.
 

 

A múmia do Homem do Gelo, assim como todos os as armas e utensílios encontrados junto a ele estão expostos no Museu de Arqueologia de Bolzano (site), no norte da Itália, perto da fronteira com a Áustria.
 

 

Fonte: Associated Press

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.