HIV: no caminho de uma vacina mais eficaz

Estudo publicado na “Nature”

08 abril 2013
  |  Partilhar:

Um consórcio de investigadores acompanhou pela, pela primeira vez, a resposta imunológica robusta de um indivíduo infetado com HIV, a qual pode ajudar no desenvolvimento de uma vacina capaz de neutralizar este patogénio, revela um estudo publicado na “Nature”.
 

A maioria das vacinas induz a resposta dos anticorpos, mas o HIV tem-se mostrado um alvo difícil das vacinas. Quando os anticorpos contra o HIV são produzidos, eles têm tipicamente um alcance limitado e o vírus escapa rapidamente.
 

Neste estudo levado a cabo pelos investigadores do the Duke Center for HIV/AIDS Vaccine Immunology-Immunogen Discovery, nos EUA, utilizaram novas tecnologias capazes de detetar o início da infeção e acompanhar a subsequente resposta imunológica e a evolução da infeção. Este estudo preenche assim uma falha no conhecimento que impediu o desenvolvimento de uma vacina eficaz contra um vírus que matou mais de 30 milhões de pessoas em todo o mundo.
 

“Pela primeira vez, mapeamos não só a via evolutiva do anticorpo, como também a via do vírus, definindo a sequência de eventos que induzem a produção de anticorpos neutralizantes”, referiu, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Barton F. Haynes.
 

A chave deste estudo foi um indivíduo africano cuja infeção foi detetada precocemente, antes do vírus ter mutado, não conseguindo assim evitar uma resposta do sistema imune. Este indivíduo também tinha uma capacidade rara, apenas presente em 20% das pessoas infetadas com o HIV, um sistema imune capaz de produzir anticorpos neutralizantes. Estas “armas” imunes atacam os locais vulneráveis do vírus que estão conservadas apesar das mutações. Com a identificação da infeção viral precoce, os investigadores constataram que o envelope lipídico encontrado na superfície do vírus é o responsável pela produção dos anticorpos neutralizantes.
 

Através do acompanhamento das vias precisas envolvidas na infeção e na produção dos anticorpos, os autores do estudo têm agora um mapa detalhado para o desenvolvimento de uma potencial vacina, que envolve as proteínas do envelope que estimulam a produção de anticorpos neutralizantes.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.