Histerectomia duplica risco de cirurgia por Incontinência Urinária

Estudo apresentado na “The Lancet”

30 outubro 2007
  |  Partilhar:

A Histerectomia utilizada em casos benignos duplica o risco de a paciente ser submetida a uma cirurgia para Incontinência Urinária de Stress, independentemente da técnica cirúrgica utilizada, aponta um estudo apresentado na revista “The Lancet” que aconselha outras opções antes de ser efectuada esta cirurgia.
 

 

A Incontinência Urinária de Stress (IUS) é uma condição em que a mulher tem pequenas perdas de urina provocadas por esforços ou situações tão vulgares como a tosse ou o riso.
 

 

Um comentário que acompanha o artigo afirma, no entanto, que os resultados do estudo contradizem outros anteriores, alguns deles dos mesmos autores, e arrisca dizer que poderiam existir outras razões que expliquem o aumento do risco.
 

 

Entre 1973 e 2003, a equipa liderada por Daniel Altman, do Danderyd University Hospital, de Estocolmo, estudou 165.260 mulheres suecas que tinham sido submetidas a Histerectomia e outro grupo de 479.506 que não tinham passado pela cirurgia.
 

 

Os investigadores descobriram que o risco de passar por uma cirurgia posterior devido à IUS era 2,4 vezes maior no primeiro grupo que no segundo. O maior risco corresponde cinco anos após a intervenção, quando as pacientes do primeiro grupo têm 2,7 vezes mais probabilidades serem submetidas a cirurgia devido à incontinência urinária, em comparação com as do outro grupo.
 

 

Mais de dez anos depois da operação, o risco (dentro do primeiro grupo) era ligeiramente mais baixo: 2,1 vezes mais que entre as pacientes que não tinham sido histerectomizadas.
 

 

Segundo os autores do estudo, "a explicação mais plausível dessa relação é o trauma cirúrgico causado quando o útero se separa dos tecidos que suportam a cavidade pélvica no momento da Histerectomia".
 

 

A Histerectomia poderia interferir, segundo os investigadores, no complexo mecanismo do esfíncter uretral e causar alterações do suporte da uretra e da bexiga.
 

 

A conclusão dos cientistas é que a Histerectomia, independentemente da técnica cirúrgica utilizada, aumenta o risco de cirurgia IUS, risco que é maior nas mulheres que tiveram vários partos.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.