Hiperuricemia associada a problemas cognitivos entre idosos

Trabalho apresentado na revista Neuropsychology

03 janeiro 2007
  |  Partilhar:

 

Um alto nível de Ácido Úrico (hiperuricemia) está associado a problemas cognitivos entre os idosos, o que abre a porta a possíveis tratamentos, segundo um estudo divulgado na edição de Janeiro da revista Neuropsychology.
 

 

Cientistas da Johns Hopkins University e da Yale University, EUA, chegaram a essa conclusão após um estudo com 96 indivíduos de idades compreendidas entre os 60 e os 92 anos.
 

 

Desse grupo, os que tinham níveis altos de Ácido Úrico mas, mesmo assim, dentro dos parâmetros do considerado normal, registaram os piores resultados em provas de velocidade de processamento mental, memória verbal e memória operacional.
 

 

O estudo recomenda testes clínicos para comprovar se os fármacos que reduzem o Ácido Úrico podem prevenir a perda da memória e outros problemas que frequentemente precedem problemas de Demência.
 

 

No entanto, os cientistas, liderados por David Schretlen, confessaram não saberem por que existe essa relação entre ambos os factores, já que, paradoxalmente, o Ácido Úrico funciona como um anti-oxidante que se achava ser benéfico para as faculdades mentais.
 

 

Para esclarecer o mistério, os cientistas estão a tentar verificar se o Ácido Úrico produz danos vasculares no cérebro.
 

 

MNI- Médicos na Internet
 

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.