Hepatite C afecta 150 mil pessoas em Portugal

É a principal causa de transplante hepático

08 setembro 2002
  |  Partilhar:

A hepatite C afecta 150 mil indivíduos em Portugal, embora apenas 20 mil estejam diagnosticados. As principais consequências da doença são a cirrose e o tumor hepático. A hepatite C constituí uma das infecções mais preocupantes a nível mundial e muitos dos infectados desconhecem ser portadores da doença, alerta esta sexta-feira a Tribuna Médica Press.
 

 

De acordo com o chefe do serviço de Gastrenterologia do hospital de Santa Maria, em Lisboa, José Velosa, em declarações à publicação, a hepatite C é uma infecção emergente e prevalece nos países desenvolvidos devido ao aumento das transfusões de sangue, ocorrido no pós guerra, cujo reflexo só agora é visível. Contudo, a partir da década de 90 tornou-se possível diagnosticar facilmente o VHC, vírus da hepatite C, com um teste acessível nos serviços de sangue.
 

 

O médico revela que, de momento, o maior grupo de risco são os toxicodependentes ou ex-toxicodependentes. «Cerca de 80% dos toxicodependentes estão infectados com o vírus da hepatite C, e, mesmo depois da abstinência, a infecção vai manter-se, manifestando-se os problemas mais tarde».
 

 

Na opinião de José Velosa, a hepatite C tem vindo a assumir-se como uma epidemia silenciosa, dado que não apresenta, praticamente, sintomas, tanto na fase aguda, como na crónica e a maioria dos doentes são detectados ou em rastreio, em análises acidentais, ou devido às complicações após vários anos de infecção.
 

 

Os dados revelam que em 80 a 85% dos casos a hepatite crónica evolui para hepatite aguda. E que 20 a 30% dos infectados com hepatite crónica podem evoluir para uma cirrose, o que, posteriormente, pode conduzir ao cancro.
 

 

A hepatite C é actualmente a principal causa de transplante hepático, tendo os casos de tumor no fígado triplicado também nos últimos anos. Ainda não existe vacina para prevenir a doença, passando a prevenção por evitar os comportamentos de risco que possam conduzir à doença.
 

 

In Diário Digital

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.