Gripes de aves: estudo é por fim publicado

Estudo publicado na “Nature”

07 maio 2012
  |  Partilhar:

Após um intenso debate sobre dois estudos que demonstraram que o vírus H5N1 poder ser transmitido entre mamíferos e a recomendação do bloqueio da sua publicação por parte de organismo governamentais, um dos estudos foi finalmente publicado, na íntegra, na revista “Nature”.

 

A investigação conduzida por uma equipa internacional de investigadores, liderada por Yoshihiro Kawaoka, da University of Wisconsin-Madison, nos EUA, demonstrou que os vírus que estão atualmente em circulação necessitam apenas de quatro mutações na proteína hemaglutinina, que está presente na superfície do vírus e que lhe permite associar-se às células do hospedeiro, para que este torne numa ameaça para os humanos.

 

Os investigadores descreveram como um vírus híbrido, constituído pelo vírus da gripe da aves e dos humanos, modificado, pode ser transmitido aos humanos. Como os vírus da gripe estão constantemente a ser alterados, à medida que estão em circulação, e facilmente adquirem genes de outros vírus da gripe, a possibilidade do vírus H5N1 adquirir a combinação exata de mutações e tornar-se consequentemente uma grande ameaça para a saúde dos humanos, é maior do que os especialistas esperavam.

 

Para além de ter demonstrado o modo de transmissão, o estudo também deu conta que este vírus mutante pode ser controlado através da vacinação ou também com a toma do medicamento antiviral conhecido por Tamiflu.

 

Se o vírus H5N1 que está atualmente em circulação pode ou não adquirir facilmente esta mutações, necessárias para causar uma pandemia, é uma questão que fica em aberto. “É difícil de prever. Estas mutações podem surgir à medida que o vírus permanece em circulação”, revelou em comunicado de imprensa, Yoshihiro Kawaoka.

 

O investigador conclui que “este estudo apresenta benefícios significativos para a saúde pública e contribui para o conhecimento deste agente patogénico importante. A identificação das mutações permite aos especialistas que monitorizam os vírus que estão em circulação a tomarem medidas que protejam eficazmente a população”.

 

Contudo, o investigador chama a atenção para o facto de poder existir outras mutações que também permitam que o vírus se transmita aos mamíferos. Assim, é muito importante prosseguir com os estudos para identificar outras mutações que tenham o mesmo efeito, e entender também o modo como elas atuam.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.