Gripe A muda hábitos da população brasileira

Dados de uma sondagem pública

15 setembro 2009
  |  Partilhar:

O vírus H1N1 causador da gripe A já conseguiu alterar os hábitos de higiene da população brasileira, após ter conduzido à morte de 657 indivíduos, revelou uma sondagem tornada pública e avançada pela agência Lusa.

 

A sondagem contou com a participação de 1.000 indivíduos oriundos de São Paulo, estado que conta já com 261 vítimas mortais, o número mais elevado de vítimas de todos os estados brasileiros.

 

De acordo com os resultados da sondagem, 67% dos entrevistados revelaram ter alterado os seus hábitos de higiene, tais como a lavagem das mãos, cuja prática frequente é indicada por especialistas como um hábito capaz de diminuir as probabilidades de contágio da gripe.

 

Por outro lado, 62% dos entrevistados começaram também a diminuir a frequência com que se deslocavam a locais fechados e 45% revelaram que começaram a evitar o aperto de mão.

 

De forma a obter uma higiene mais cuidada das mãos e dos objectos mais utilizados, nomeadamente do telemóvel, a sondagem revelou que metade dos entrevistados começou a utilizar álcool em gel.

 

A mesma percentagem dos entrevistados acredita também que a epidemia de gripe A já alcançou o seu ponto mais crítico e que o número de casos irá diminuir com o final do Inverno.

 

Em comparação com os15 países com maior número de mortes provocadas pela gripe A, o Brasil tem a sexta taxa de mortalidade (0,34 em cada grupo de 100.000 habitantes). A taxa de mortalidade representa a percentagem de óbitos em relação à população de cada país.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.