Gravidez e os efeitos da toma de ácido fólico

Estudo publicado no “BJOG: An International Journal of Obstetrics and Gynaecology”

28 novembro 2014
  |  Partilhar:

A toma de ácido fólico antes da conceção reduz significativamente o risco de o bebé ser pequeno para a idade gestacional, sugere um novo estudo publicado no “BJOG: An International Journal of Obstetrics and Gynaecology”.
 

Estudos anteriores já tinham constatado que ser pequeno para a idade gestacional, ou seja, possuir peso à nascença abaixo do percentil 10, estava associado a um aumento da morbilidade e mortalidade neonatal. Este peso também tinha sido associado a um risco aumentado de desenvolvimento de doenças crónicas ao longo da vida, como diabetes, hipertensão, obesidade, doenças cardiovasculares e problemas de saúde mental. Por outro lado, a toma de ácido fólico tinha sido associada a uma diminuição do risco de defeitos do tubo neural, como a espinha bífida.
 

Neste estudo, os investigadores da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, decidiram avaliar o efeito da toma do ácido fólico durante a gravidez no risco de um bebé ser pequeno para a idade gestacional. O estudo incluiu a participação de mulheres com uma média de idades de 28,7 anos. Em média, as participantes tinham um índice de massa corporal de 24,7 e 42%, eram mães pela primeira vez e a maioria não era fumadora.
 

Das 108.525 gravidezes com informação sobre a toma de ácido fólico, 84,9% das mulheres tinha tomado este suplemento durante a gravidez. A data de início da toma de ácido fólico foi registada em 39,416 gravidezes. Em 25,5% dos casos, este suplemento começou a ser tomado antes da conceção.
 

O estudo apurou que a proporção de bebés nascidos com peso abaixo do percentil 10 e 5 foi de 13,4% e 7%, respetivamente. A taxa mais elevada de bebés pequenos para a idade gestacional ocorreu nas gravidezes em que a mulher não tinha tomado este tipo de suplemento.
 

Comparativamente com a toma de ácido fólico antes e após a conceção, os investigadores verificaram que a prevalência do peso abaixo do percentil 10 era de 9,9 e 13,8%, respetivamente. Para o percentil abaixo dos 5, a prevalência foi de 4,8% e 7,1%, respetivamente.
 

Um dos coautores do estudo, Khaled Ismail, referiu que o aumento da absorção de ácido fólico antes e durante o primeiro trimestre da gravidez pode ter benefícios significativos na saúde pública, dados os problemas associados aos bebés pequenos para a idade gestacional.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.