Gravidez: controlo de peso reduz complicações

Estudo publicado no “British Medical Journal”

23 maio 2012
  |  Partilhar:

O risco de desenvolvimento de complicações graves durante a gravidez pode ser diminuído, mesmo nas mulheres com excesso de peso ou obesas, através da adoção de uma dieta equilibrada, dá conta um estudo publicado no “British Medical Journal”.

 

Mais de metade das mulheres do Reino Unido em idade reprodutiva tem excesso de peso ou são obesas e cerca de 40% das mulheres oriundas da Europa e EUA ganham mais peso do que aquele que é recomendado na gravidez. Por outro lado, vários estudos têm associado a obesidade na gravidez a um aumento de risco de vários problemas de saúde, nomeadamente, pressão arterial elevada, diabetes, aborto, defeitos congénitos, formação de coágulos, pré-eclampsia e até mesmo morte materna e infantil.

 

Os profissionais de saúde acreditam que a gravidez é assim a altura ideal para discutir o controlo do peso, dado que as mulheres grávidas estão mais motivadas a alterarem a sua dieta, para o seu benefício e do bebé.

 

Neste estudo, os investigadores da University of London, no Reino Unido, analisaram 44 estudos prévios, que incluíram mais 7.000 mulheres, para avaliar o efeito da dieta, prática de exercício físico ou ambos, no ganho de peso durante a gravidez e no desenvolvimento de possíveis complicações para a mãe e para o bebé.

 

Os investigadores constataram que os três métodos conduziram a uma diminuição de peso durante a gravidez, mas a dieta foi o que teve um efeito mais pronunciado conduzindo a uma redução de cerca de 4Kg. A prática de exercício físico conduziu apenas, em média, a uma diminuição de 0,7 Kg, enquanto a combinação dos dois métodos levou a uma redução, média, de 1kg.

 

O estudo também apurou que as mulheres que seguirem uma dieta controlada apresentavam um risco 33% menor de desenvolverem pré-eclampsia, um risco 60% menor de desenvolverem diabetes gestacional, um risco 70% menor de desenvolverem pressão arterial elevada e um risco 32% menor de terem um parto prematuro. Apesar de os resultados obtidos, os investigadores alertam para o facto de estes ainda terem de ser confirmados em estudos de maior escala. Acrescentando, por outro lado, que este tipo de intervenções não afetou o peso dos bebés.

 

“O controlo do peso é difícil, mas este estudo demonstrou que através do aconselhamento médico, as mulheres grávidas podem reduzir o ganho de peso durante a gravidez. Por outro lado, este estudo também revelou que a adoção de uma dieta controlada pode reduzir o risco de desenvolvimento de várias complicações durante a gravidez”, deu conta, em comunicado de imprensa, a líder do estudo, Shakila Thangaratinam.

 

Desta forma os investigadores aconselham as mulheres grávidas a limitar a ingestão de calorias e a consumir de preferência cereais, frutas, vegetais e leguminosas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.